domingo, março 18, 2007

Fui num instante ao estrangeiro e voltei

Hoje deixei a soberania israelita e passei o dia sob a Autoridade Nacional Palestiniana. Agora que o governo de unidade nacional serenou os ânimos nas ruas, já me foi possível visitar a capital administrativa - Ramallah.
Há pouco para ver. A grande atracção é a Muqataa, que se assemelha apenas a um quartel militar. Fui prestar as minhas homenagens a Yasser Arafat, que lá está enterrado. Ainda tive esperança de ver algum senior da AP, mas ninguém apareceu para fazer as honras da casa. Se calhar também não convinha. Podia aparecer algum do Hamas e, como se sabe, a UE não tem contactos com eles e eu ainda provocava um incidente diplomático.
Há muito para sentir. A praça central, que parece mais uma rotunda, uma mesquita principal muito modesta, um Star and Bucks (assim, de repente, isto faz-me lembrar qualquer coisa), morangos à venda por todo o lado, um cheiro intenso a falafel a ser frita à frente do cliente, lojas, muitas lojas, com as mercadorias a invadirem as ruas, um trânsito caótico e um polícia sinaleiro que já precisava de um vallium, pessoas nos passeios, pessoas nas estradas, a passar por entre os carros que não avançam. Tudo ao molho e fé em Allah.

3 comentários:

Isabel disse...

A sorte é que eu já começo a fazer as honras aos anos que vão passando, e estou finalmente a aderir aos calmantes, caso contrário podia ter tido um enfarte.
Está uma mãe toda relaxada no seu sofá, numa tarde de Domingo, imaginando o seu rebento numa esplanada, numa praia, talvez em casa a tomar um cházinho e a ver TV, quando toma conhecimento que a sua única filha anda em Ramallah. Como é que eu posso ser uma mulher feliz? Para não falar nas "marcas" que estes momentos de aflição me provocam. Onde é que eu errei?

Chimaera disse...

Susana Isabel,

Quer-me parecer que afinal de contas sempre provocaste um incidente diplomático. :P

E por falar em Ramallah, esta malta francesa já aprendia a não confundir o meu apelido com a dita cidade.

Beijos e tem cuidado contigo

Filipa disse...

Isto não é coisa que se diga a uma mãe... mas estou cheia de inveja!! :)
Mantém-te diplomática, em segurança e com capacidade para contar a história.