quinta-feira, maio 31, 2007

Nos extremos

Fiquei a saber, através desta notícia, que estou dividida entre um dos países mais seguros do mundo - Portugal - e um dos mais perigosos - Israel.
Ainda não tive acesso ao estudo (que é revelado pelo The Economist), mas tenho as minhas dúvidas em relação ao que é considerado Israel. Sim, houve uma guerra no Verão passado, mas não me parece que Israel kosher seja mais perigoso que os Territórios Palestinianos, em especial Gaza. Em comparação com outros, Tel Aviv é um dos sítios onde me sinto mais segura. E falo a nível mundial. Presumo, por isso, que os TPO estejam incluídos em Israel.
É também curioso que, dos restantes países mais seguros do mundo, nenhum me atrai particularmente. Talvez a Dinamarca porque, a avaliar pela amostra que já tive, os homens são dos mais bonitos do mundo. Já no que toca ao top ten dos países mais perigosos, Líbano está nas minhas prioridades a curto/médio prazo e não me recusaria a ir para qualquer um dos outros (bem, se calhar o Iraque, se tivesse opção, preferia não ir, mas nunca recusaria totalmente).
Serei uma mulher de extremos, portanto...

4 comentários:

Filipa disse...

Tal como a coisa de Portugal ser um país seguro ter que ser melhor esclarecida. Já fui à procura do tal estudo... quero ver quais são os critérios..
Sim, porque no fim de semana estive a ouvir notícias sobre sequestros ocorridos em frente à Mimosa lá em Coimbra...

Thomaz Napoleão disse...

Quase todos os paises mais seguros são monotonos, exceto Japão e talvez Irlanda, Portugal e partes do Canada. Concordo consigo: exceto Bagda, eu iria confortavelmente para qualquer um dos worst ten, e por sinal vou morar no terceiro pior.

PS: cadê o Afeganistão?

Thomaz Napoleão disse...

Aqui, Filipa:

"Pour réaliser ce classement, l'hebdomadaire britannique a consulté 650 experts, qui ont analysé ces 121 pays sur la base d'une vingtaine de critères, comme le fait d'avoir été, ou non, en guerre ces cinq dernières années, la politique du pays en matière de vente d'armes, ses dépenses militaires, son taux de criminalité, le niveau d'instruction de sa population ou la transparence de son gouvernement."

Ou seja, Portugal é mais seguro do que França e UK porque quase não vende armas (!)

Por causa desse critério, os EUA ficaram em #96 no ranking, atras de paises em quase-guerra civil como Moldavia e Sérvia, e muito atras de Cuba...

Susaninha disse...

Bons critérios, sim senhor!
É sempre bom saber que uma população não alfabetizada é um perigo. E eu que pensava que era o contrário. Quanto mais se estudava, mais se pensava e mais ideias "subversivas" se tinha.
Folgo igualmente em saber que a Suécia, apesar de vender armas para todo o lado (menos para Israel, porque como já se sabe são os únicos "maus" do mundo), é um país seguro.
Mas oh Filipa, acho que até não nos podemos queixar do nosso Portugalinho...