sábado, agosto 11, 2007

Serviço Público

Há homens que são como uma exposição itinerante. Lindos e vistosos, sabem que o são e, por isso, gostam de se exibir, desfilar de um lado para o outro, posicionar-se em lugares onde podem ser vistos por todos/as.
No entanto, como qualquer outra obra de arte, mantém-se distantes, quase com um cordão de segurança que ninguém consegue atravessar. Ignoram ou fingem ignorar os olhares desejosos até dos admiradores mais "interessantes". Não se toca. Pode estragar.
Nós admiramo-los. É impossível tirar os olhos deles. Já se sabe, não se toca. Até porque excesso de auto-estima já eles têm.
Depois a exposição acaba, passa para um novo lugar, que os outros também têm direito a ver o belo. Nós também passamos a outra actividade, que ver exposições não alimenta estômagos esfomeados.
Mas quem não gostaria de ter o David em casa, na colecção privada?

1 comentário:

gui disse...

Há quem já tenha...