terça-feira, setembro 18, 2007

Once in a lifetime

Achava eu que já me tinha purificado de todos os pecados desta vida, das anteriores e das futuras, ao subir as escadas a cúpula do Vaticano no mês mais quente do século XX; ao ir, a meio da noite e sem dormir cinco minutos que fosse, para Santiago de Compostela só porque era o dia do Jubileu; ao subir, em dias de calor insuportável, ao Templo Bahai em Haifa, ao Monte das Tentações em Jericó e ao Monte das Oliveiras em Jerusalém. Achava eu também que, no dia em que, no Rio de Janeiro, me levantei às cinco horas da manhã, já tinha visto o mais bonito amanhecer do mundo.
Achava eu muita coisa... até ao dia em que resolvi escalar o Monte Sinai (onde Deus deu a Moisés os 10 Mandamentos, incluindo aquele "Não cobiçarás [...] nem a mulher do teu próximo [...] nem seu jumento"). Vamos a factos:

  • Três horas de carro do hotel até à área de Santa Catarina
  • Três check-points no caminho (o Sinai já parece a Cisjordânia)
  • Início da caminhada às duas horas da manhã e fim às nove (mais tempo para pequeno-almoço, visita ao Mosteiro de Santa Catarina e regresso ao hotel - conclusão: cheguei à uma da tarde)
  • Altura do Monte Sinai: 2285 m (só como referência, o pico da Serra da Estrela tem 1993 m)
  • Mais de 7 km a percorrer, incluindo 750 degraus de pedra extremamente irregulares
  • Três horas e meia a subir e mais duas e tal para descer
  • A carregar com comida e três litros de água
  • A única iluminação era uma lanterna por pessoa
  • Um verdadeiro caminho de cabras à beira de precipícios, às vezes com pouco mais de meio metro (excluindo a parte dos degraus que era ainda mais estreita), a ser partilhado com centenas de pessoas a subir (há mais malucos nesta terra do que eu pensava), dezenas de camelos e, de vez em quando, uns monges e freiras ortodoxas, alguns de bengala, a descer (sim, há mesmo malucos para tudo).
  • Até ver, três dias de dores no corpo.

Mas valeu a pena. Uma das melhores experiências da minha vida.


Dado o meu escassso conhecimento sobre a Bíblia, eu só me pergunto como é que o Moisés foi lá parar. É que o Monte Sinai não é propriamente um sítio onde uma pessoa se perca a passear, qual Heidi a brincar nas montanhas, aos saltinhos, tralala.

2 comentários:

viajante disse...

deve ser por isso que dizem que ele nunca lá esteve.

maria joao disse...

"há mais malucos nesta terra do que eu pensava"

Ainda bem que tens nocao que fazes parte do grupo :)
Tenho tanto orgulho em ti Susanete! Fiquei com vontade de subir essa montanha interminavel!